domingo, 2 de agosto de 2009

Verdes de matar.

Mas foi ai que eu percebi que os olhos dele não eram verdes de matar, realmente. Eram de um azul esverdeado com a borda da pupila amarela, iguais aos de outra pessoa, que eu costumava brincar que ficavam da cor que quisessem.
Inclusive verdes de matar.

(19/06/09)

2 comentários:

Arth Silva disse...

Muito lindo o texto

Li disse...

lu sempre lucy