sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Sufocada.

Essa noite eu me engasguei com tudo que teimo em não dizer, mas queria tanto, que quase as palavras saem sem minha permissão. Falta de ar que me atrapalhou a dormir, e um medo de morrer sufocada com a sua imagem no pensamento e um monte de coisas atravessadas na garganta. O coração apertado, e a vida nas mãos.

Um comentário:

Gabriel G. disse...

Não pense assim! =D