sábado, 14 de maio de 2011

Isso.


Tive vontade de escrever que já não sei se isso foi paixão, ou se mentira.


Tudo parou em uma fotografia da gente. Nos últimos meses a sua porta permaneceu fechada atrás de mim,
com todas suas lembranças,
músicas
e sorrisos.
Mas seu olhar me arranca a voz da garganta e minha saudade eu sinto como se eu colocasse várias revelações de fotos 3x4 lado a lado e ficasse procurando diferenças entre elas. E eu fico fazendo isso.
É saudade do que foi,
do que nunca será
e do que poderia ter sido.
Eu quero é voltar e corrigir meus erros. E se, outra vez, e outra, e novamente, nada funcionar, vou saber que é,
ou foi,
ou seria
sempre destino,
mesmo que essa coisa de destino não exista, conforta.

Eu teria destruído tudo mesmo assim, não teria?

2 comentários:

Gabriel G. disse...

huuuummmm...

Li Pizzicato disse...

Eu venho aqui todos os dias. Todos os dias, Luciana.

Isso não é uma coisa que se deva fazer com outra pessoa.

(e se orgulhar)


Te amo. De montão.