quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Umas ideias.

Eu tive umas ideias sem acento, sem documento, sem pretensão e sem intenção de voto. Mas a tv vetou de mim todas elas, são todas dela. Perdi. Não sei se tenho hífen, nem sei se ainda me tenho. O grande cometa cometeu um erro e não foi no enterro de quem matou.
E quem sempre aprendia coisa nova, agora esnoba sua ignorância, pois está na moda não ser criança. No fim, na rede, se arrepende, porque na mente ja não há infância, ja não há cor. A-cor-dei tarde demais. A menina pinta a cara para parecer mais velha, depois de velha, para parecer bela. Perderam o pronome "eu", adulteraram a idade, pois está na moda ser só imagem.
Eu tive um filho sem interrogação, nasceu vendo televisão. E jamais me preocupei pois está na moda não questionar; não reclamei, era em vão... e ponto de exclamação.

3 comentários:

Eder Asa disse...

Fantástico!
Me faz ter vergonha de pegar o lápis escrever rs

Luciana Velasco disse...

Aah cara, nem ficou grande coisa.
Você escreve muito! Abraço.

caro Li na disse...

gostei do novo layout.
do texto não vou nem falar nada, eu já conheço essa luciana.